O grupo Limbo – Laboratório de Imagem e Estéticas Comunicacionais surge como espaço para estudos, pesquisas e experimentações em torno da interface interdisciplinar Comunicação e Imagem. Sua criação, em dezembro de 2018, busca ampliar a pesquisa no curso de Jornalismo e na região do Cariri, tendo em vista o interesse de docentes e estudantes no aprofundamento de questões em torno das visualidades. A partir de debates coletivos, pretende-se  estimular e desenvolver estudos com desdobramentos teórico-práticos/prático-teóricos.

Tendo em vista as dinâmicas comunicacionais contemporâneas engendradas nas visualidades, o pensamento e debate propositivo das experiências imagéticas são de forte relevância para a implementação de pesquisas e estímulo à produção de conhecimento. Ao unir diferentes pesquisadoras/es (doutoras/es, mestres e estudantes) em duas linhas de pesquisa complementares  – 1) Imagem, cultura e estéticas e 2) Narrativas visuais na comunicação -, o Limbo busca se firmar como espaço para o diálogo e produções ativadas pelas experiências, aproximações e tensões com as mediações tecnológicas imagéticas.

No atual contexto de convergência midiática, O Cariri é dispositivo de atravessamentos, de espaços e tempos, de modos de vida e de dinâmicas comunicacionais que se traduzem em singularidades de objetos, fenômenos e produções a serem visibilizados e explorados por meio de pesquisas do grupo. Tanto os fenômenos estético-tecnológicos quanto os discursos e narrativas em linguagens comunicacionais apontam para “ambientes de imagens”, termo de Baitello Junior (2018), que se referem a “ambientes culturais de vinculação a partir da visualidade”.

Nesse horizonte, imagens midiáticas e artísticas operam vínculos em diferentes intensidades, sendo o corpo, o médium e a imagem instâncias interdependentes e com relativa autonomia. O progressivo domínio da imagem no mundo contemporâneo requer olhares atentos para o vigor de narrativas e criação de ambiências que se mostram como potências comunicacionais.